O fenômeno do vidro tcheco: a tradição tcheca que conquistou o mundo

O fenômeno do vidro tcheco: a tradição tcheca que conquistou o mundo

O vidro tcheco tradicional sempre soou bem no mundo todo. Leia a história de 5 vidrarias cujos produtos são bons souvenires da visita à República Tcheca.

HomeNovidadesO fenômeno do vidro tcheco: a tradição tcheca que conquistou o mundo
Você também está pensando sobre qual souvenir trazer da sua visita à República Tcheca? O vidro tcheco é definitivamente a escolha certa. Caso ame vidro tcheco, você realmente deveria visitar estas cinco cidades. Você verá não apenas um museu tcheco excepcional voltado ao vidro e bijuterias, ou a produção de vidro manualmente assoprado e talhado, mas também os cristais mais puros da República Tcheca.



1. Jablonec: Tradição e museu

Quando se fala sobre vidro tcheco, a cidade de Jablonec nad Nisou imediatamente surge à mente. Localizada ao lado de Liberec, trata-se de um renomado centro de produção de vidro e bijuterias. Portanto, é exatamente em Jablonec que você encontrará também o único museu da República Tcheca dedicado ao vidro e bijuteria: o Muzeum skla a bižuterie (Museu do Vidro e da Bijuteria), fundado em 1904. Hoje em dia, ainda é possível encontrar estabelecimentos que se beneficiam da história vidreira do local. Por exemplo, a Preciosa, fabricante tcheco de cristais, luminárias excepcionais e joias, baseia-se na tradição centenária de uma companhia de vidros com a qual se fundiu em 1948. A companhia G&B beads também continua uma tradição de produção de originais pérolas de bijuteria em vidro e de componentes.

2. Nový Bor: Destacado produtor de vidro doméstico

Você encontrará a cidade de Nový Bor no norte da Boêmia próxima à Česká Lípa. Graças à produção de vidro, a cidade carrega um bom nome não apenas na República Tcheca mas também em outros países. A empresa local Crystalex produz vidros utilitários. É o maior produtor local e um destacado produtor global de vidros para bebidas. Os produtos da vidraria de Nový Bor podem ser adquiridos em 60 países do mundo inteiro. Que Nový Bor é a cidade do vidro, isso pode ser confirmado também pelo fato de que aqui existe uma escola de vidraria. A cidade é também a sede do restaurante especial Ajeto, que está conectado à uma oficina de vidraria. Este restaurante excepcional foi projetado pelo artista plástico e arquiteto tcheco mundialmente conhecido Bořek Šípek.

3. Nižbor: Vidraria familiar de tradição

Na Boêmia Central, na cidade de Nižbor, próxima à Beroun, você encontrará a vidraria Rückl, fundada em 1903 por Antonín Rückl, membro de uma antiga família de vidreiros cujas raízes remontam ao século XVII. A vidraria logo se tornou conhecida em toda a Europa, tendo representantes em vários países. Hoje em dia, fabrica cristais manualmente talhados e uma série de vários itens de premiações estatais (por exemplo, da rainha Elisabete II ou de João Paulo II). Realmente recomendamos que você não apenas visite a vidraria mas também confira toda a sua produção, desde a fornalha até a talharia. Você também verá com os próprios olhos a produção do vidro manualmente assoprado e talhado.
 

4. Světlá nad Sázavou: a vidraria mais moderna da Europa

Světlá nad Sázavou é uma pequena cidade na região de Vysočina, na fronteira entre a Boêmia e a Morávia. A tradição vidreira local terminou em 2008 após mais de um século de existência. No entanto, apenas quatro anos mais tarde, surgiu aqui a empresa Bomma, que apostou em tendências modernas e em designers de ponta nacionais e de outros países. O vidro aqui produzido pode ser encontrados à bordo dos maiores navios do planeta e é possuído na forma de troféu até mesmo pelo rei do tênis, Novak Djoković. A companhia foi gradualmente desenvolvendo várias máquinas especiais de produção de vidro para uso próprio, graças às quais se tornou a vidraria mais moderna da Europa. No entanto, o vidro é aqui assoprado até mesmo de forma manual. Além disso, como a Bomma orgulhosamente afirma, graças à tecnologia moderna, os seus cristais são os mais puros de todo o país.

5. Karlovy Vary: Vidraria que fornecia vidros até para o imperador

A vidraria Moser do oeste da Boêmia dedica-se exclusivamente à produção manual de cristal sem adição de chumbo. A vidraria foi fundada em 1857 na cidade-balneário mundialmente famosa Karlovy Vary e, apenas 20 anos mais tarde, já fornecia vidros para o imperador austríaco Francisco José I – mais tarde até mesmo para o xá persa Mozafar Adim Xá Cajar e o rei inglês Eduardo VII. Graças à beleza inigualável, qualidade e confiabilidade da marca, as obras de cristal Moser tornaram-se símbolos de reconhecimento e premiação de personalidades excepcionais de todo o mundo. A vidraria tem três revendedoras na República Tcheca (duas em Praga e duas em Karlovy Vary) mas a sua rede de lojas estende-se pelo mundo todo. Durante a sua visita à Karlovy Vary, não deixe de visitar o museu da vidraria Moser, onde será apresentada à você, de forma envolvente, a notável história de 160 anos da vidraria e do cristal Moser.