Patrimônio UNESCO na República Tcheca

Patrimônio UNESCO na República Tcheca

Narrativas românticas em cenários de monumentos

HomePatrimônio UNESCO na República Tcheca
A fuga dramática da casa dos sonhos, um espetáculo fascinante numa sala barroca ou o resgate de um rei fugindo de uma batalha perdida: essas são as histórias que se relembram ao passear por alguns dos monumentos tchecos tombados pela UNESCO. Você vai ter a oportunidade de ver joias da arquitetura e também descobrir alguma coisa sobre os seus proprietários originais e seus destinos.

CASA TUGENDHAT

Em simbiose com a natureza

A casa Tugendhat de Brno, construída em estilo funcionalista, é um local importante para a história tchecoslovaca. Não é uma casa para família com crianças comum: trata-se duma residência sofisticada que satisfez todos os desejos dos seus proprietários. A casa foi construída exatamente do jeito que Greta Tugendhat, da família Löw-Beer, planejou: para que virasse um lugar onde a sua família pudesse viver próximo ao centro da cidade sem perder o contato com a natureza. Quando tinha dez anos, mudou-se com seus pais de uma pequena vila de Svitávka para a cidade de Brno, onde a família comprou uma pomposa e ornamentada mansão. Porém, Greta sempre foi fascinada pela arquitetura moderna, admirando o estilo sóbrio e sem enfeites. Seu amigo de infância, o empresário Fritz Tugendhat, com quem Greta casou-se em 1928, compartilhava o mesmo gosto. O pai de Greta deu ao casal como presente de casamento um grande terreno que se encontrava ao lado da sua própria casa, e ainda dinheiro para a construção da nova casa. Assim que o casal conheceu o arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe, decidiu que seria este quem os iria ajudar a realizar o seu sonho.
 
O arquiteto projetou uma casa com espaços amplos e uma vista para o jardim em terreno com declive. No interior, usou materiais exóticos tais como travertino branco importado da Itália e ônix do Marrocos. Este último, mineral de cor de mel, foi usado numa parede inteira, que muda de cor dependendo da forma como a luz nela reflete. O elemento da sala que mais se destaca é a parede de vidro de vários metros de comprimento, que pode ser parcialmente empurrada para o chão, abrindo, assim, todo o espaço para o jardim. Os Tugendhat instalaram-se na casa dos seus sonhos no ano de 1930. Oito anos depois, todavia, precisaram exilar-se para escapar da perseguição nazista, nunca mais voltando à sua casa.

 

Joia renascida

O confisco da mansão pela Gestapo, no outono de 1939, ocasionou transformações drásticas no interior. Além disso, o exército soviético, que transformou a sala principal num estábulo no final da guerra, foi mais um fator de devastação para a casa. Mais tarde, a casa foi transformada numa clínica de fisioterapia para crianças com problemas na coluna. Nos anos 1980, já era possível avistar alguma luz no fim do túnel quando a casa começou a passar pela primeira reforma. Doze anos depois, o jardim virou o palco de encontro dos homens de Estado que assinaram o tratado de separação da Tchecoslováquia. Esse novo começo de um novo Estado simbolizou também o renascimento deste edifício sem igual. Em 2002, a casa foi inscrita na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO e, dez anos mais tarde, completamente reformada, permitindo ao público, a partir de então, disfrutar da beleza dessa joia funcionalista. Em 2017, a casa abrigou o encontro de três distintas famílias judias, o que permitiu, pela primeira vez em décadas, que parentes dos proprietários iniciais pudessem voltar à casa.
 

COMPLEXO DE LEDNICE-VALTICE

 

Elegância aristocrática

O palácio de Lednice, de estilo neogótico, vai seduzir você com um estilo sublime que costumava impressionar membros de famílias aristocráticas da Europa inteira. O palácio faz parte de um complexo de uma superfície de quase 300 km² que acolhe não apenas jardins deslumbrantes, mas também um pequeno castelo de caça e uma réplica do famoso Arco do Triunfo, o Rendez-vous, onde se reuniam os nobres para a caça. A primeira menção do local remonta ao começo do século XIII, quando este abrigava uma fortaleza gótica, mais tarde transformada num palacete renascentista e, a seguir, num palácio barroco. O palácio ganhou o aspecto atual na metade do século XIX, quando o príncipe Aloísio II de Liechtenstein mandou convertê-lo numa residência de verão representativa, construída no estilo gótico inglês, para poder organizar os sumptuosos encontros da nobreza europeia. Para esses fins serviam as salas solenes com teto entalhado, revestidas de madeira e decoradas com móveis refinados sem igual na Europa, que estão localizadas no térreo do palácio.
 
Ao alcance da vista do palácio encontra-se, no meio da natureza, um minarete. Esta obra arquitetônica original foi concebida por Joseph Hardmuth no início do século XIX. O minarete eleva-se a 60 metros e trata-se de uma das construções mais altas do seu tipo num país não muçulmano. Na base do minarete encontra-se o museu da família de Liechtenstein, que abriga também uma coleção de suvenires exóticos das viagens dos Liechtenstein pela Europa, que a família amava tanto fazer. Nos arredores do minarete encontram-se várias construções de estilo romântico mais modestas, como, por exemplo, o Templo de Apolo ou o Templo das Três Graças.

 

Espetáculo de estilo barroco

A quinze quilômetros do palácio de Lednice encontra-se mais um joia da arquitetura: o edifício do teatro palaciano de Valtice, que foi construído no final do século XVIII a mando do príncipe Aloísio I de Liechtenstein. A primeira peça, o drama musical Prometeu, foi encenada aqui em novembro de 1790 em homenagem à visita do imperador Leopoldo II. Para o público, esta foi uma ocasião de ver um espetáculo original cheio de truques e magia. Cenários ricamente decorados alternavam-se no palco e sons imitando trovoadas e temporais repercutiam pelo auditório. Há alguns anos, o teatro palaciano foi reformado e uma parte do mecanismo original foi trocada por um equipamento de modernização da coxia para facilitar a sua operação, permitindo, assim, que você possa desfrutar de um ambiente semelhante ao dos nobres na época barroca.
 
O ambiente romântico, a elegância dos interiores dos palácios e a singularidade do complexo de Lednice-Valtice despertou interesse não apenas do júri da UNESCO, mas também da prestigiada revista National Geographic. Esta elaborou quatro rotas temáticas através da Europa inteira, incluindo na rota “Europa Romântica” o complexo de Lednice-Valtice, da região de Břeclav, como um exemplo de destino que oferece passeios românticos e monumentos de beleza sem igual.
 

A cidade de Žatec

 

Exportação em tons de verde

Estrelas de cinema mundial como Barbra Streisand, Liam Neeson, Scarlett Johansson e muitos mais já conhecem Žatec, uma cidade a apenas uma hora e meia de viagem de Praga. A cidade ganhou notoriedade por ser um lugar muito inspirador para cineastas e também por ser uma cidade onde se cultiva o melhor lúpulo do mundo. Hoje em dia, a cidade de Žatec é uma das principais cidades aspirantes à inscrição na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO. “A cerveja pode ser fabricada em qualquer lugar do mundo, mas a nossa espécie de lúpulo é da maior qualidade possível, e é por isso que ela está sendo exportada para o mundo inteiro. Locais ligados à fabricação do lúpulo e campos onde a planta é cultivada desde a Idade Média preservaram-se em Žatec e nas vilas na sua vizinhança. Os turistas não deveriam perder a chance de visitar o Museu do Lúpulo de Žatec, que vai fazê-los descobrir o processo completo desde o cultivo até ao processamento desta matéria-prima. Um outro ponto de interesse é o Farol do Lúpulo e a exposição interativa no Templo do Lúpulo e da Cerveja”, explica a representante da prefeitura da cidade, Olga Bukovičová.
 

Inspiração para filmes

A cidade de Žatec atrai não apenas turistas, mas também profissionais de cinema que apreciam a autêntica aparência histórica da praça e das ruas tortuosas do centro. A Galeria Sladovna (fábrica de malte) abriga uma exposição permanente sobre os filmes que foram gravados em Žatec. Os textos que relembram o decorrer da filmagem na cidade estão disponíveis em inglês e alemão e os visitantes poderão comparar o aspecto atual da cidade com aquele que tinha nas fotografias da filmagem. No começo dos anos 1980, Barbra Streisand dirigiu aqui o seu drama Yentl, que conta a história de uma mulher jovem e obstinada que não queria se conformar com convenções. Os criadores do filme Os Miseráveis (1998), estrelando Liam Neeson, também se apaixonaram pela cidade. E, há pouco, Scarlett Johansson passeava pelo centro da cidade gravando cenas do filme  Jojo Rabbit, que ganhou seis indicações ao Oscar. A praça cercada por arcadas e a Igreja da Assunção da Virgem Maria aparece também na propaganda de Natal da empresa Apple do ano de 2016.
 
 

CAVALGATA DOS REIS

 

Uma fuga fantasiada

A República Tcheca contribuiu à Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO não apenas com seus monumentos arquitetônicos, mas também com suas tradições e rituais transmitidos ao longo de séculos. “A comunidade que apresente um evento como parte da sua identidade pode solicitar a inscrição na Lista. É importante, porém, que essa tradição seja inovada de alguma maneira, como o desfile de carnaval de Hlinecko, na região da Boêmia do Leste, que foi inscrito na Lista do Patrimônio Imaterial. Há algo novo a cada ano, novas fantasias originais aparecem. O mesmo vale para a técnica de tingimento de tecido com a cor azul (“modrotisk”). Essa técnica artesanal é conhecida pelo mundo inteiro, mas o pedido de inscrição foi apresentado por pessoas da Europa Central, incluindo a República Tcheca. Apesar de a prática de tingimento de tecido de azul ter sido utilizada principalmente em trajes tradicionais, continua sendo usada na fabricação de roupa moderna hoje em dia. Na Morávia, há dois ateliês de costura artesanal onde essa técnica se transmite dentro das famílias de uma geração para outra”, explica Dita Limová, do Ministério da Cultura, acrescentando a informação de que, desde 2011, a Cavalgata dos Reis está também tombada pela UNESCO.
 
Existem várias lendas acerca da origem dessa festa folclórica. A mais reiterada entre elas menciona um evento da época da Guerra entre a Boêmia e a Hungria. Em 1469, o então rei húngaro, Matias Corvino, participou de um conflito perto da cidade de Uherské Hradiště. Ao perder a batalha, decidiu fugir por um corredor secreto vestindo roupa feminina. Diz-se que o rei, acompanhado por uma comitiva de defensores, segurava na boca uma rosa para que não revelasse a sua identidade ao falar. Hoje em dia, a cavalgata em trajes acontece todos os anos no final de maio nas vilas do sudeste da Morávia, sendo a mais popular a da vila de Vlčnov. Aqui, reúnem-se os amantes de tradições folclóricas também por causa da feira tradicional que oferece diversos produtos artesanais. Durante a Cavalgata dos Reis, homens percorrem o vilarejo a cavalo tendo entre eles um jovem vestido em traje tradicional feminino que representa o rei. Ao seu lado andam os seus guarda-costas carregando sabres para defendê-lo. O cortejo percorre a vila inteira declamando versos burlescos e louvando o rei ou pedindo que as pessoas doem presentes para ele. Outras histórias dramáticas como essa e também narrativas poéticas semelhantes podem ser encontradas por toda a República Tcheca.