O paradoxo barroco, aliás, a beleza das fortalezas

O paradoxo barroco, aliás, a beleza das fortalezas

A grande variedade de monumentos barrocos inclui, além dos castelos, palácios e jardins, também as fortalezas e muralhas históricas.

HomeNovidadesO paradoxo barroco, aliás, a beleza das fortalezas
Para a defesa do país e à honra da mãe. Esta foi uma das ideias que levaram o imperador José II da Áustria a construção de duas cidades fortificadas na República Tcheca. Josefov lembra o seu próprio fundador e Terezín leva o nome da sua mãe, a imperatriz Maria Teresa da Áustria. Viaje conosco pelas fortalezas na Boêmia e na Morávia e conheça uma parte da história militar e arquitetura excepcional.

Terezín e Josefov

As duas fortalezas têm, além do seu fundador, uma coisa em comum. Nenhuma delas precisou enfrentar um cerco. Do ponto de vista militar, a sua construção foi um desperdício de dinheiro, mas do ponto de vista turístico valeu a pena. Em Terezín e em Josefov até hoje você pode ver um grande número de objetos preservados e trechos contínuos de muralhas e também interessantes espaços subterrâneos.

Terezín no norte da Boêmia tornou-se na história o símbolo de sofrimento e opressão, quando foi escolhido pelos nazis como um lugar para gueto judeu e presídio da Gestapo. Hoje, a fortaleza é lugar de memorial. A época, quando Terezín se tornou, para os judeus de toda a Europa,  uma estação de transferência aos conhecidos campos de concentração, é lembrada pela Igreja da Ressurreição no centro da cidade ou pelo Memorial Terezín com as suas partes isoladas, por exemplo, o Museu do Gueto na antiga escola de Terezín, Quartel de Magdeburg, cemitério judeu com crematório e a Pequena Fortaleza que servia como presídio da Gestapo de Praga.

O destino de Josefov no leste da Boêmia foi completamente diferente. A fortaleza serviu ao exército por muito mais tempo e os soldados sairam dela após 1989. Hoje acontece nela anualmente um festival da música que você dificilmente imaginaria em uma fortaleza barroca, mas por isso é ainda mais interessante. A cada ano soa nos corredores da fortaleza música heavy metal durante o festival Brutal Assault que atrai cada vez mais pessoas. Eles vêm atrás da sua música favorita, mas também atrás do exclusivo ambiente que é elogiado tanto pelos visitantes do festival como pelos músicos executantes.

Vyšehrad em Praga, Špilberk em Brno, a casamata em Cheb

Entre as mais importantes fortalezas tchecas está também um lugar mítico cheio de lendas que se transformou em uma fortificação barroca com guarnição no século XVII. Hoje o Vyšehrad , além de alguns detalhes, pode ser visto da mesma forma como em 1911 quando a guarnição saiu dele. Para as visitas durante todo o ano convidam a casamata oculta nas muralhas maciças de tijolos vermelhos sem reboco, a sala subterrânea Gorlice, a Igreja de São Pedro e Paulo e o cemitério de Vyšehrad, onde encontraram o lugar do último descanso quase 600 personagens da cultura e da ciência.

Se você quer conhecer o austero barroco militar, então visite o castelo Špilberk em Brno e a sua famosa casamata! Foi construída em 1742 às instruções do coronel Rochepin,  durante quase cem anos servia como presídio e os primeiros turistas a visitaram em 1880. A casamata permanece aberta durante todo o ano.

Uma casamata barroca você encontrará também no castelo em Cheb. A cidade começou a transformar-se em uma fortaleza de fronteira por ordem do imperador Fernando III em 1652, na época quando o estatuto de cidade fortificada em todo o Reino da Boêmia tinha somente Praga. O original castelo medieval se transformou em uma cidadela barroca com as típicas paredes de tijolos vermelhos que foram utilizados justamente para construir a casamata e as paredes periféricas do castelo. No parte oeste da casamata você pode ver uma exposição de tortura e pena de morte e o arsenal do castelo com a exclusiva coleção de armas brancas e armas de fogo. O monumento está aberto durante todo o ano.

Olomouc e a sua fortificação

Enquanto da fortificação medieval de Olomouc foram preservados apenas pedaços – por exemplo - no parque Bezručovy sady pode ser visto um dos portões de entrada na cidade chamado Portão Judeu, no caso de fortificação barroca é diferente. Após a Guerra dos Trinta Anos, Olomouc foi declarada cidade fortificada e em meados do século XVIII foi rodeada por muralhas chamadas Muralhas da Maria Teresa. Ao visitar a cidade você pode ver, por exemplo, o Portão da Maria Teresa, cuja arquitetura tem traços de arco triunfal da Roma Antiga e que é o único portão da fortificação preservado no seu lugar original, a pequena fortaleza Korunní pevnůstka com depósito barroco de pólvora ou o grandioso Arsenal da Maria Teresa. A fortaleza abaluartada foi cem anos depois completada por um círculo de baluartes – fortes. Para os amantes da arquitetura militar, Olomouc é um exemplo raro de fortificação abaluartada. Você pode visitar, por exemplo, o Forte Radíkov, Forte N° XIII em Nová Ulice e Forte N° XVII em Křelov.

E se você, ao visitar as fortalezas, apesar de tudo, estiver com saudade da clássica beleza do Barroco cheia de detalhes decorativos e emoções, em Olomouc você pode ver a coluna da peste barroca que conquistou a inscrição na lista do Patrimônio Cultural da Humanidade da UNESCO.