O chefe da agência CzechTourism: a Covid acelerou meu objetivo principal – digitalizar

O chefe da agência CzechTourism: a Covid acelerou meu objetivo principal – digitalizar

HomeWhat's NewO chefe da agência CzechTourism: a Covid acelerou meu objetivo principal – digitalizar
Homem ágil, ativo, de muitas profissões, que encarou o período da covid como um desafio. Assim é Jan Herget, o chefe da agência CzechTourism, que, apesar do momento desfavorável, tenta apoiar ao máximo o turismo.
Em breve fará dois anos desde que o senhor retornou à agência CzechTourism como diretor executivo. O senhor pode nos contar sobre esse período?
Foram dois anos muito dinâmicos. Na primeira metade, concentrei-me em mudar a configuração da agência para refletir melhor as necessidades dos empresários, regiões e associações profissionais. Na segunda parte então entrou muito dinamicamente a covid – 19, acelerando e virando tudo de cabeça para baixo. Onde pensávamos que tínhamos muito tempo, de repente tínhamos que fazer alterações de um dia para o outro e vice-versa. Funcionamos um pouco como uma startup.

A covid também acelerou meu objetivo principal – digitalizar. Todos os funcionários podem trabalhar desde qualquer lugar e participar de reuniões por meio do Microsoft Teams. Organizamos workshops, seminários e conferências on-line para parceiros. Em novembro passado, apresentamos nossa estratégia para os próximos cinco anos na forma de um estúdio de televisão virtual. Vários milhares de pessoas assistiram à transmissão em várias plataformas. Já não estamos falando apenas de digitalização, mas abordamo-la diretamente.

Obviamente, também direcionamos todos os nossos esforços de publicidade ou conteúdo para o ambiente digital. Só aqui podemos responder a essas mudanças, quando as fronteiras fecham-se e abrem-se durante uma semana. Se quisermos planejar isso em um ambiente de papel e brochuras, não temos absolutamente nenhuma chance.

Como é que o senhor vê o futuro? Que conclusões podem ser tiradas da pandemia de COVID-19, que consequências isso terá para o desenvolvimento do turismo?
Em primeiro lugar, existem consequências econômicas brutais. Cada um de nós vê os números. Só na República Tcheca, o consumo de turismo caiu mais da metade no ano passado devido à covid e o setor perdeu cerca de duzentos mil empregos.

Eu pessoalmente vejo mudanças em duas áreas. Anteriormente, o muito interessante e lucrativo turismo de congressos, do qual, entre outras coisas, se beneficiou também Praga, que é um dos dez melhores destinos de MICE da Europa, foi gradualmente mudando para estúdios virtuais e plataformas eletrônicas devido a medidas epidêmicas. A questão é se ele será capaz de começar nas dimensões em que existia até recentemente. Vejo o futuro em eventos híbridos que combinarão formas de reunião on-line e reais. Agora oferecemos ajuda ao setor de congressos afetado na forma de workshops e feiras comerciais on-line na plataforma virtual Eventtia. As empresas que fazem negócios no setor de MICE podem participar gratuitamente. Lançamos uma série no outono passado e nela viajamos virtualmente pelos Estados Unidos e Canadá, América Latina, Itália, Grã-Bretanha, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, Escandinávia, Áustria, Alemanha e França.

A segunda área somos nós, pessoas comuns que viajamos para relaxar e nos divertir. Desconfio que a maioria de nós que gostamos de viajar fomos afetados pelo momento atual. Tivemos que cancelar passagens e férias e já não queremos investir mais dinheiro nas férias. É por isso que acho que uma enorme mudança virá aqui também. Vamos reservar passagens e acomodação de última hora, não vamos planejar con antecedência porque não é possível hoje. Também acho que a segurança de um país e seu sistema de saúde serão fatores significativos que aumentarão consideravelmente de importância no turismo. Vamos querer alguma certeza de que, se formos a algum lugar, cuidarão de nós por lá em caso de doença. Aqui vamos direcionar nossa ajuda para campanhas on-line flexíveis e para a visibilidade da oferta de destinos e de empreendedores regionais no espaço on-line no país e no exterior. Nossos portais de internet kudyznudy.cz para o turismo doméstico e visitczechrepublic.com para visitantes de fora são um auxílio fundamental. Ao mesmo tempo, apoiaremos projetos que ajudarão as regiões com uma gestão eficaz de destinos. Por exemplo, o projeto e-Turista, que deve garantir um sistema unificado de cadastramento de visitantes no país.

Em uma das entrevistas, o senhor mencionou que seu objetivo é divulgar o conceito de viajante, não de turista. Conte-nos sobre isso.
A ideia baseia-se principalmente no período antes da covid, quando a maioria dos destinos atraentes, e não importa se Praga, Barcelona ou Viena, já sofria com a investida de turistas. O sentido do conceito é atrair e motivar aqueles turistas interessados, por exemplo, em arquitetura, que saibam distinguir o gótico do barroco e percebam que em nosso país eles têm toda a história da Europa moderna em alguns quilômetros quadrados. Aqueles que se interessam a fundo e sabem apreciar seja a cozinha tradicional, a história ou a beleza da natureza. O contrário disso são os turistas que chegam por três horas, descem do ônibus e tiram fotos de um monumento desde um pau de selfie e depois desaparecem rapidamente.

Quais são os seus planos para um maior desenvolvimento do turismo ativo, rural, gastronômico, ecológico e outros?
Juntamente com o nosso parceiro, a Associação de Turismo Rural e Agroturismo, passamos a nos dedicar intensamente ao produto do turismo rural e do agroturismo no ano passado. Desde o mapeamento da oferta de instalações e serviços no mercado, passando pelo desenvolvimento de produto compartilhando as melhores práticas e inspirações, por exemplo, da Áustria, até a melhoria da qualidade dos serviços em cooperação com parceiros regionais e setoriais. No segundo semestre do ano, planejamos suporte de marketing tanto na República Tcheca quanto em mercados estrangeiros selecionados onde este produto ressoa.

Este ano, mas também nos próximos, vamos nos concentrar também no setor da gastronomia, o mais afetado pela covid. Focamo-nos na promoção da cozinha tradicional tcheca e morávia, de especialidades regionais e de alimentos locais, o que também está relacionado com o apoio ao turismo sustentável. Ao mesmo tempo, queremos apresentar a República Tcheca como um destino para jantares requintados. Poucos sabem que, para além dos estabelecimentos de renome em Praga, o panorama gastronômico de outras cidades, como Brno ou Olomouc, também pode satisfazer os mais exigentes clientes com suas línguas sofisticadas. Também planejamos trabalhar mais com a excelente cultura do café, da qual as cidades tchecas podem se orgulhar. Outra tarefa para nós será a sensibilização para o enoturismo, que em algumas regiões, mesmo no que diz respeito ao folclore e às tradições, tem um grande potencial que ainda se encontra um pouco à sombra da famosa cerveja tcheca.
 
A situação atual também exige cuidados com a condição física e com a saúde. Férias ativas associadas ao banho frio, viagens à natureza, ciclismo, esqui cross-country ou caminhadas tornar-se-ão cada vez mais importantes. No ano passado, foi inagurada na República Tcheca a rota de longa distância Via Czechia, que contorna a fronteira do estado da República Tcheca, passa pela natureza tanto quanto possível, atravessa os picos mais altos da maioria das montanhas tchecas e leva às principais atrações de cada área. Vamos certamente promover isso.



A República Tcheca é famosa pela sua infraestrutura de balneários, pessoal médico qualificado, fontes minerais e barro terapêutico. O senhor planeja usar esses recursos para entrar no mercado internacional e atrair visitantes à República Tcheca para reabilitação e tratamento após a pandemia de COVID-19?
Com certeza. Estamos de volta a um estilo de vida saudável. O spa é parte integrante das viagens futuras. Vai desempenhar um papel significativo no fortalecimento do sistema imunológico, recondicionamento e prevenção. Além disso, os balneários tchecos são rodeados por uma bela natureza ou por montanhas e por isso oferecem uma combinação muito interessante de cuidados de spa e férias ativas.

Vários spas na República Tcheca também incluíram operativamente em sua oferta programas de tratamento para pacientes que sofreram de COVID. Estes estão focados principalmente no tratamento de problemas respiratórios, muitas vezes causados pela pneumonia grave que acompanha a doença, mas também problemas psíquicos e distúrbios do aparelho locomotor.

O spa tem sido um dos nossos principais produtos de marketing. Estamos cientes da importância do setor e do forte impacto da pandemia. Por isso, este ano iremos fortalecer significativamente nossas atividades de marketing no exterior apoiando o produto spa, especialmente na Alemanha, Rússia, Oriente Médio e também em países vizinhos (Eslováqui, Áustria, Polônia, etc.)

Praga aprovou um novo plano de turismo sustentável cujo objetivo é colocar a cidade em primeiro lugar e alcançar o equilíbrio com a qualidade de vida dos habitantes. O senhor pode nos contar mais sobre esse programa?
Há muito tempo que cooperamos com Praga para promover bairros desconhecidos. A maioria dos turistas chega para ver o Castelo de Praga, a Ponte Carlos e a Praça da Cidade Velha, mas nós tentamos descubrir outras partes interessantes da cidade para os turistas e viajantes – como Karlín com sua interessante cena gastronômica, e Praga 7, que se destaca em arte moderna. Os diques de Praga ao longo do rio Moldava agora também são muito atraentes. Também temos um lindo jardim zoológico, muito popular entre os clientes russos.

Parte da sustentabilidade do turismo consiste em receber os turistas fora de lugares congestionados. Vale a pena explicar-lhes que a vista do Castelo de Praga de Vítkov, por exemplo, onde poucos turistas vão, é muito bonita, assim como a vista de Petřín, onde é possível chegar de teleférico.

Ao mesmo tempo, Praga, em cooperação com o governo, está preparando regras para a regulamentação de acomodação compartilhada, onde parte dos empresários burla o sistema, não paga impostos ou taxas de turismo. As novas regras devem nivelar as condições de concorrêcia para hotéis regulares e acomodações compartilhadas.

Quais dos mercados internacionais de turismo são atualmente sua prioridade?
Tudo indica que os turistas domésticos serão importantes para a República Tcheca também este ano. Porém, acreditamos que os primeiros turistas estrangeiros aparecerão em nosso país já no verão. Primeiro podem ser viajantes de países vizinhos que poderão chegar até nós de carro – alemães, poloneses, eslovacos, austríacos, húngaros, holandeses…

Por isso responderemos ao desenvolvimento da situação epidêmica e lançaremos campanhas tanto na República Tcheca quanto nos mercados vizinhos, incluindo a Holanda, para atrair turistas estrangeiros assim que a situação permitir. Em mercados distantes, queremos manter a República Tcheca em mente até que os turistas desses países possam vir até nós. Embora as chegadas de turistas de mercados distantes não sejam realistas antes da segunda metade do ano.

As principais ferramentas em 2021 continuarão sendo as redes sociais, os blogueiros e outros influenciadores. Com a ajuda deles, será realizada em abril uma campanha nas redes sociais com o objetivo de divulgar as regiões tchecas menos conhecidas.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                             
O senhor pode nos contar três fatos sobre a República Tcheca que os visitantes talvez não conheçam?
Vou tentar. A República Tcheca está há muito tempo entre os países mais seguros do mundo. Regularmente nos classificamos entre os 10 países mais seguros do mundo, o que é especialmente importante nos dias atuais. Hoje a segurança é um dos principais parâmetros segundo os quais decidimos ao escolher um destino. 

Quem já visitou a República Tcheca talvez saiba que está entre os países com maior número de monumentos da UNESCO por quilômetro quadrado. Se você levar em conta a pequena extensão da República Tcheca, então ao viajar pelo país você quase não terá problema para encontrar algo excepcional. Quer se trate de um castelo histórico, palácio, igreja ou uma bela natureza, você irá apreciá-los em quase todos os passos. E se você andar por sua própria conta, pode aproveitar outra coisa única do mundo – o sistema tcheco de três placas coloridas para turistas, que o guiará com segurança pelos cantos mais bonitos da República Tcheca. 

O que surpreendeu recentemente até a mim mesmo foi que, de acordo com a última pesquisa sobre o cumprimento dos objetivos globais de sustentabilidade da ODS, a República Tcheca está entre os dez melhores 10 destinos europeus no campo do comportamento responsável em relação ao meio ambiente.
 
Sua carreira é impressionante, de representante de relações públicas em turismo e marketing a professor universitário e administrando seu próprio negócio. O senhor acha que essa diversidade na carreira o ajuda em seu trabalho atual?
Eu acredito que isso me ajuda. Mas, ao mesmo tempo, devo dizer que os tempos atuais são realmente difíceis, tudo está mudando incrivelmente rápido. Não podemos determinar o que acontecerá em meio ano, muito menos em um ano ou depois. Mesmo que ninguém estivesse pronto para essa mudança de etapa, acho que as experiências ajudam. Também consigo sentir mais empatia com os sentimentos dos pequenos e médios empresários, que têm maior dificuldade agora, e estou procurando maneiras de ajudá-los pelo menos um pouco.

Um dos seus perfis de mídia social diz „Nunca desista“. É o seu lema?
Tento viver de acordo com ele. Gosto de planos de longo prazo, procuro cumpri-los e não importa se é no esporte, nos negócios ou no trabalho… É importante saber onde está o seu objetivo e como você quer alcançá-lo. Então você não tem vontade de desistir porque é uma longa jornada. Eu costumava correr maratona, a pessoa tem que chegar lá na linha de chegada de alguma forma.

O senhor passou muitos anos no exterior durante a sua carreira. Para onde gosta de ir nas férias e como passa o tempo livre em Praga?
A República Tcheca é um país pequeno, mas no verão passado atravessamos o país com a família com um trailer. Em comparação com os anos anteriores, passamos muito mais tempo em casa e descobrimos muitos lugares lindos onde nunca havíamos estado antes. Na Morávia oriental, descobrimos uma bela natureza e a cidade de Vizovice, que tem uma atmosfera maravilhosa. Encontramos, por exemplo, o „Mar da Morávia“, um belo lago com ondas, em Ostrožská ves. A propósito, lá eles também têm o maior túnel subaquático de água doce com peixes, então é extremamente divertido para as crianças.



Ao mesmo tempo, fiquei extremamente impressionado com as „cidades reais“ de distritos menores. Litoměřice, Klatovy ou Sušice. Todas possuem uma bela praça histórica e ao mesmo tempo encontram-se no meio da natureza. Ao mesmo tempo aqui, graças ao nível cada vez maior de serviços gastronômicos na República Tcheca, você pode comer muito bem por um preço razoável. Litoměřice fica às margens do rio Elba, ao logo do qual uma linda ciclovia leva das Montanhas dos Gigantes até Hamburgo. Klatovy, por outro lado, fica no meio da selvagem Šumava. Aproveitamos também a oferta de vouchers de balneário do estado, cujo objetivo é apoiar o turismo de spa na República Tcheca, e visitamos Lázně em Karlovy Vary. Eu desfrutei de uma estadia de balneário pela primeira vez na vida e fiquei animado. Se a covid ajudou em alguma coisa, então foi certamente que os tchecos começassem a redescobrir as belezas da República Tcheca e a desfrutar de férias e viagens domésticas.