Conheça o pintor de Art Nouveau Alfons Mucha

Conheça o pintor de Art Nouveau Alfons Mucha

Visite os lugares onde a beleza dos pôsteres de Mucha ganham vida

HomeWhat's NewConheça o pintor de Art Nouveau Alfons Mucha
A Art Nouveau personificada em sua própria pele! Enormes telas com pinturas a óleo, cartazes publicitários, móveis, joias, decoração de edifícios e vitrais na catedral – tudo isso inclui a obra do pintor de Art Nouveau Alfons Mucha. Quem era ele e aonde ir para buscá-lo?

Quem foi Alfons Mucha

Alfons Mucha, pintor, artista gráfico, designer e ilustrador, nasceu em 1860 em Ivančice, Morávia, e morreu em 1939 em Praga. Diz-se que desde cedo desejava mover-se apenas no mundo da arte. Em 1879 ele foi para Viena e finalmente para Paris, então o centro de todos os artistas. Sua vida e arte pertencem ao período do Art Nouveau, a chamada belle époque, e hoje não podemos imaginar esse período sem a sua obra. Sem belas garotas, sem ornamentos florais e sem linhas expressivas. Em suma, a belle époque não teria sido tão bonita sem ele.

O jovem Alfons em Paris

Em Paris, no final do século XIX, ele primeiro trabalhou e ilustrou livros e revistas. Foi um entre muitas centenas de artistas que viveram e criaram nesta cidade que pulsava com a arte. No final, no entanto, graças aos seus originais e então ousados cartazes publicitários para o melodrama Gismonda com a então famosa atriz Sarah Bernhardt no papel principal, ele fez seu nome quase da noite para o dia. Em Paris, na virada dos séculos XIX e XX, durante a época da belle époque, Mucha determinou o estilo da moda e viveu anos de maior glória – em seu ateliê surgiam cartazes, calendários e cardápios, anúncios e designs de palco, além de esculturas, móveis e joias. Quando até Paris ficou pequena para ele, partiu para os Estados Unidos.

Epopeia eslava

Durante sua estada na América, quando Mucha trabalhava em academias em Nova York, Chicago e Filadélfia, nasceu a ideia de uma Epopeia eslava. Realizou-a somente depois de 1910 e depois de retornar à Boêmia. De 1912 a 1928, a ala leste do Castelo de Zbiroh, perto de Plzeň, tornou-se a casa do pintor, e um grande salão do castelo serviu como estúdio para telas gigantes. A Epopeia eslava, um ciclo de 20 pinturas monumentais inspiradas na mitologia e na história eslavas, foi apresentada pela primeira vez pelo artista ao público de Praga no Palácio de Feiras de Praga no outono de 1928 por ocasião da celebração dos dez anos da independência do estado da Tchecoslováquia. Você pode ver as telas no palácio Moravský Krumlov (a partir de 2021).

Um artista em cada polegada

Alfons Mucha talvez nunca tenha ficado desocupado. Embora tenha criado a Epopeia eslava, também foi ativo em outros aspectos. Na década de 1920, ele desenhou selos e cédulas para a jovem Tchecoslováquia, que na época foram consideradas talvez as cédulas mais bonitas do mundo. Sem cobrar honorários, dedicou-se também à decoração do expoente máximo da Art Nouveau de Praga, a Casa Municipal, ou à reconstrução e conclusão da Catedral de São Vito. Alguns dos vitrais na frente da catedral são obra sua.

Mucha em um aspecto moderno

iMucha, este é o nome da exposição que você poderá visitar na Casa Municipal de Praga até fevereiro de 2023. A exposição oferece um olhar completamente novo para a coleção do pintor tcheco de Art Nouveau. Graças ao movimento digital processado profissionalmente dos pôsteres de Mucha, você encontrar-se-á cara a cara com modelos animados, será atraído para as cenas da Epopeia eslava e do próprio Alfons Mucha, ou seja, o seu eu digital falará com você. O conceito único da exposição leva a Art Nouveau mais de cem anos até o futuro e você, como visitante, mais de cem anos ao passado. A representação arquitetônica magistral do conceito acompanha os marcos mais importantes da vida e obra de Mucha, que ilustram as informações mais fundamentais do principal especialista em Alfons Mucha. A exposição conta com quase 240 artefatos. Toda a exposição combina lindamente o melhor da obra de Alfons Mucha e das tecnologias contemporâneas.