Abertura da República Tcheca às tendências gastronômicas internacionais

Abertura da República Tcheca às tendências gastronômicas internacionais

Experimente a tradicional culinária tcheca inovada, cozinha fusion e moderna culinária de chefes!

HomeWhat's NewAbertura da República Tcheca às tendências gastronômicas internacionais
Quando se viaja, percebem-se as diferenças com todos os sentidos, mesmo com um sentido tão básico quanto o paladar. Sem experimentar a culinária local, é como se você não tivesse feito uma viagem completa. Na República Tcheca, o mundo gastronômico evolui de forma desenfreada, aliás, como em outros lugares de Europa. Nas cidades, existem praticamente em cada canto possibilidades de experimentar algo novo, quer seja a culinária tcheca na sua versão tradicional ou mais leve e moderna ou então cozinha asiática em todas suas formas, desde a gastronomia do Oriente Próximo até o Japão, assim como especialidades da América do Sul. Restaurantes de qualidade que oferecem especialidades de todos os cantos de mundo não se limitam apenas à Praga e Brno, ou seja, às cidades grandes. Alguns dos melhores restaurantes do país que seguem tendências mundiais, desenvolvendo-as de forma criativa, encontram-se no interior: por exemplo, na cidade de Olomouc na Morávia ou em Tábor, cidade localizada na Boêmia do Sul.

Estrelas tchecas do Guia de Michelin

A excelente notícia é que a comida de qualidade já está longe de ser preparada apenas em Praga. Boas ideias para pratos interessantes e o ambiente apropriado para isso voam por todo o país. Há várias razões para isso. Os tchecos não ficam satisfeitos com o que têm, mas procuram novos caminhos. Viajam muito, aprendem e trazem suas experiências para o país. Ao mesmo tempo, verifica-se que a República Tcheca também pode ser um ambiente interessante para estrangeiros qualificados que se estabelecem aqui a gosto e cozinham suas especialidades ou procuram fusões originais das cozinhas tradicional e moderna.
 
O interesse crescente acentuado pela boa comida pode ser visto, por exemplo, na imensa popularidade das séries gastronômicas de tv, sejam de procedência estrangeira ou nacional, que têm uma excelente audiência. E até na grande popularidade da literatura culinária. E, por fim, quando não há lockdown, mesmo no número e frequência de restaurantes de qualidade.
 
O início foi lento e um pouco tosco. Ainda antes da Revolução de Veludo, surgiram os primeiros restaurantes chineses na República Tcheca. Por volta de 1989 e depois disso, começaram a crescer pizzarias como cogumelos depois da chuva. Então algumas pizzarias ampliaram a oferta para massas e outros pratos italianos. Especialmente à época da guerra da Iugoslávia, chefes habilidosos dos países da ex-Iugoslávia chegaram aqui. Então os tchecos começaram a descobrir o primeiro sushi, a comida mexicana e as cozinhas tailandesa ou coreana. Hoje, restaurantes indianos ou nepaleses são algo natural, assim como as influências sul-americanas.
 
Não muito tempo atrás, a comida vietnamita começou a ganhar imensa popularidade, especialmente graças à numerosa minoria vietanmita que vive na República Tcheca. O mercado SAPA vietamita, nos arredores de Praga, tornou-se um destino popular para os tchecos, que vão lá não apenas para fazer compras, mas também para comer bem.

Primeira estrela Michelin

Tudo isto tem um impacto no surgimento de novos restaurantes interessantes, onde se tenta ir ainda mais longe e não se prende a uma única influência. Oferecem-se fusões interessantes, sem medo de experimentar.
 
A primeira estrela Michelin, não só na República Tcheca, mas também nos países da Europa Central e Oriental, foi recebida em 2008 pelo então restaurante italiano Allegro do hotel Four Seasons de Praga. Dois anos depois, dois chefs tchecos, Roman Paulus do restaurante Alcron do hotel Radisson Blu Alcron e Oldřich Sahajdák do La Degustation Bohême Bourgeoise, especializado em cozinha tcheca clássica do final do século XIX, receberam a estrela Michelin pela primeira vez na história. Em 2016, foram complementados pelo chef Radek Kašpárek com o restaurante Field de Praga.
 
No início da nossa série gratuita deste ano sobre a gastronomia da República Tcheca, oferecemos-lhe algumas dicas de restaurantes e bares interessantes em todo o país.

PRAGA

 
Cozinha kosher
Uma numerosa comunidade judaica viveu no centro de Praga durante séculos. O restaurante King Solomon, perto da Praça da Cidade Velha, baseia-se na cozinha kosher tradicional. A oferta inclui, por exemplo, o caldo festivo de aves com dumplings de maçã e massa ou cordeiro preparado com batatas e cenoura doce.
 
Falafel famoso
Os proprietários do Bistrô Paprika mudaram-se de Israel para Praga e cozinham de acordo com as receitas israelenses. Você vai encontrar o pequeno bistrô perto da estação I. P. Pavlova do metrô, há poucos lugares aqui e estão quase sempre lotados, porque o humus local, o falafel ou o schwarma vegano são realmente famosos. Recentemente, os proprietários abriram uma filial na estação de metrô Anděl, onde há mais lugares para sentar ou onde ficarão felizes de embalar sua comida.
 
Doçura não tradicional
Lukáš Vašek começou como muitos gourmets: nunca estudou culinária ou confeitaria, mas queria experimentar algo novo. Abriu a padaria Oh Deer Bakery perto da avenida Národní třída em Praga, onde se vende a chamada crobliha, um donut feito de massa de croissant que é frito como um sonho tcheco. A iguaria decorada doce e sobretudo colorida atrai todos os que gostam de experimentar. Prove a variante com creme de pistache e framboesa em pó ou a combinação de caramelo salgado e Rafaello.
 
Arte de padaria da Islândia
Davíd Arnórsson ganhou o prêmio Torta do Ano de 2017 na Islândia e recebeu o prêmio do presidente islandês. Em vez de continuar sua carreira bem iniciada, Davíd decidiu mudar-se para Praga e apresentar especialidades de acordo com as receitas tradicionais islandesas. Perto da parada de bonde Újezd, tem a padaria Artic Bakehouse, onde acende a fornada todos os dias e coze o pão de massa fermentada ou caracóis de canela com cobertura de baunilha. Na padaria vende tamém pão frito com cardamomo ou sonhos com passas ástarpungar, que oferece como „love balls“ pela dificuldade da pronúncia.
 
Outro Norte
A cozinha escandinava também inspira o proprietário Radek Kašpárek, o chef do restaurante Field de Praga, que voltou a defender a estrela Michelin em 2020. A ênfase é colocada na apresentação direta e sem enfeites de ingredientes e pratos. A comida neste restaurante atrai não só pelo paladar, mas também pela aparência. Aqui você pode saborear argila de sangue de touro, formigas secas em conserva, coração de gamo seco ralado ou chips de tendão de touro. Radek Kašpárek não tem medo de ingredientes ousados ou de receitas que usam ingredientes redescobertos de prados e bosques tchecos, como a raiz negra ou o nabo.
 
Mistura asiática
Restaurantes japoneses, coreanos ou vietnamitas podem ser encontrados em toda Praga. Também está aumentando o número de cafés onde se serve café filtrado vietnamita com leite condensado. É famoso o Caféfin, na estação de metrô Jiřího z Poděbrad, ou o Ca phe, onde você pode saborear não só café, mas também, por exemplo, panqueca de côco ou uma tradicional baguete vietnamita. A comunidade vietnamita também está por trás da criação do centro comercial e cultural SAPA. Em uma área de 250 mil metros quadrados, você encontrará um autêntico lugar vietnamita onde existe um labirinto de ruas e becos repletos de restaurantes e cafés. Vá ao SAPA ou reserve uma excursão em inglês; os guias irão apresentá-lo aos lugares mais interessantes de todo o recinto.

OLOMOUC

 
O jogo da borboleta
O chef Přemek Forejt trabalhou no restaurante L'Autre Pied de Londres, com estrela Michelin, e também cozinhou no renomado restaurante Koishi de Brno. Em 2015 abriu o restaurante Entree em Olomouc. Surpreendê-lo-á não só pelo interior original, mas principalmente pelo estilo que o chef apresenta aqui aos seus convidados. A ênfase é colocada na qualidades dos ingredientes locais e também na ludicidade. O cardápio inclui, por exemplo, vieiras de Santiago com erva-doce; a comida chama-se Faça você mesmo. O próprio hóspede monta a comida de acordo com o plano em anexo e no final tem uma refeição em forma de borboleta no seu prato.
 
Modernismo no barroco
Eva Dlabalová e Petr Heneš dirigem o albergue de design Long Story Short em Olomouc, que o diário britânico The Guardian incluiu em sua lista dos dez melhores novos albergues do mundo. Os proprietários renovaram as antigas fortificações barrocas; além de acomodações, oferecem aqui café da manhã ou almoço no bistrô, que combina a tradicional cozinha tcheca com o estilo moderno. O cardápio inclui, por exemplo, joelho de cordeiro, sêmeas, espinafre, avelãs ou bacalhau com purê de ervilha.

OSTRAVA



Café da manhã francês
O belga David Girten foi trazido para Ostrava anos atrás por amor. Casou-se aqui e abriu o bistrô Lapeco, que evoca o estilos dos cafés franceses e belgas. No menu do café da manhã não faltam excelentes croissants, waffles e sanduíches. O chef também oferece um sanduíche especial com manteiga, ovos mexidos, bacon e rúcula junto com café fresco ou para viagem.

PLZEŇ


 
Doce e salgado
Parte da cozinha tradicional tcheca é um acompanhamento chamado knedlík. Geralmente é servido com carne e molho; os dumplings são de massa de batata ou de farinha branca e pão branco. Os bolinhos também são preparados com os mais variados tipos de recheio. Os donos da empresa Dumbplings Factory de Plzeň  apostaram na variedade de sabores. O estilo boêmio antigo é, por exemplo, Geleia de ameixa e sementes de papoula ou Mirtilo e canela; você também pode tomar um Limoncello. Os dumplings também têm recheio salgado, como o tradicional Defumado tcheco com espinafre, bem como o Curry ou o Dirty Dog BBQ.

BRNO

 
Padrão de Berlim
Brno é a segunda maior cidade da República Tcheca e nela você encotrará bistrôs estudantis, restaurantes elegantes extravagantes e cafés retrô. Uma das estrelas é o Bistro Franz, cujo proprietário se inspirou nos estabelecimentos de Berlim e Paris. Sopas, sanduíches e um cardápio diário são feitos de ingredientes locais. No café da manhã, coma um burrito vegetal com abacate ou mingau de aveia e amendoim
 
Solo para carne
Os proprietários do food truck Būcheck, que está estacionado em Zelný rynek, no centro de Brno, servem uma boa porção de carne. Eles também têm experiência em cozinhar e servir no exterior e decidiram oferecer algo especial. O cardápio inclui barriga de porco assada com amendoins, molho hoisin e coentro ou o famoso porco desfiado ou batatas fritas na banha.
 
Estilo saudável
Na cena gastro de Brno não pode faltar a cozinha asiática; além de restaurantes, está aumentando o número de cafés e bistrôs. Uma das novidades é o Cà Phê Cổ, que oferece café vietnamita com gema de ovo ou purê de arroz com frango e ervas. Um conceito interessante tem o 3F by Mori, onde apostam em uma combinação de alimentos saudáveis de primeira qualidade que você pode comer diretamente no estabelecimento ou pedir para embalar. Especializa-se nas culinárais japonesa e coreana. Aqui você pode escolher entre toda uma série de kits de sushi já prontos, saladas e outros pratos, ou pode deixar preparar o que lhe der vontade. O interior minimalista foi desenhado pelo estúdio londrino Identity Design.

MIKULOV



Tradição judaica
A cidade morávia de Mikulov atrai turistas de todo o mundo não só pelos monumentos, mas também pela excelente gastronomia. O chef eslovaco Marek Ihnačák trabalhou no restaurante londrino Pied-á-Terre, com estrela Michelin, cozinhou também no estabelecimento Fifteen de Jamie Olivier, onde se tornou sous chef. Em Mikulov, dirige o restaurante do Hotel Tanzberg, seu conceito é baseado na culinária judaica e remete à história da comunidade judaica que viveu aqui desde o século XV. Ihnačák cozinha, por exemplo, carpa ao estilo judaico em vinho branco com alho assado, cebola e purê de batata. O restaurante também oferece uma grande seleção de vinhos da Morávia.

TÁBOR



Novo clássico tcheco
O restaurante Goldie do hotel Nautilus tornou-se uma das empresas melhor avaliadas na República Tcheca nos últimos anos. Segundo o guia gourmet Pavel Maurer, é o décimo melhor restaurante da República Tcheca. O chef Martin Svatek aposta na fusáo das cozinhas tcheca e internacional. Remete a pratos tchecos clássicos, mas prepara-os em uma versão leve, como lombo de veado grelhado com molho de rosa mosqueta com framboesa, repolho assado e abóbora marinada e polenta

ČESKÉ BUDĚJOVICE

Monumento gourmet
Há uma série de cafés e restaurantes agradáveis nos diques em České Budějovice. Vá do rio até a praça principal de Přemysl Otakar II e no caminho vá para Solnice, que é um edifício do gótico tardio que recebeu o título de momumento do ano em 2019. Antes havia aqui um armazém de sal, hoje você vai encontrar um restaurante com cervejaria. Preparam cozinha tcheca e internacional. Experimente, por exemplo, a sopa kulajda da Boêmia do Sul com ovo escalfado e cogumelos assados ou costela de porco levemente defumada com molho "Jack Daniels" e salada de repolho.