Reabertura do prédio principal do Museu Nacional de Praga

Reabertura do prédio principal do Museu Nacional de Praga

Após uma completa e ambiciosa reforma, o Museu Nacional reabrirá as suas portas no dia 28 de outubro 2018, isto é, exatamente no dia do 100° aniversário da proclamação do Estado independente dos Tchecos e Eslovacos.

O Museu Nacional, a mais antiga instituição do seu tipo na Boêmia, foi fundado há 200 anos, ou seja em 1818, como um “Museu da Pátria”. A sua fundação está estreitamente ligada aos nomes de personagens famosas tais como o conde Kaspar Maria von Sternberg, o historiador e político František Palacký, o médico e descobridor Jan Evangelista Purkyně e pesquisador francês Josachim Barrande. O museu pode utilizar os espaços do prédio neo-renascentista na Praça Venceslau (Václavské náměstí) apenas a partir de 1891. Desde a sua construção, o edifício histórico do Museu Nacional não passou por uma reforma mais abrangente. Por conseguinte, o objetivo do restauro foi preservar esse monumento cultural nacional transformando-o num espaço moderno de museu. Visto que a área de exposição do Museu no centro de Praga duplicou graças aos espaços liberados no Prédio Histórico que foram conectados ao assim chamado Prédio Novo, os visitantes poderão admirar muitos objetos únicos das coleções que até agora estavam escondidas nos depositários.

Reabertura do museu e projetos de exposição

O prédio histórico do Museu Nacional estará parcialmente acessível ao público no dia 28 de outubro de 2018 em comemoração do 100° aniversário da criação da República. Os visitantes poderão desfrutar não apenas dos belíssimos interiores reformados do Prédio Histórico e visitas guiadas mas sobretudo três exposições que se estendem, no total, por uma área de 2.000 m2 e que poderão ser visitadas, até 31 de dezembro 2018, de forma gratuita.

A exposição intitulada Česko-slovenská výstava a Slovensko-česká výstava (Exposição Tcheco-Eslovaca e Exposição Eslovaco-Tcheca), em cartaz de 28 de outubro 2018 até 30 de junho 2019 chegará de Bratislava. O objetivo desse projeto é apresentar a história do Estado que os tchecos e eslovacos compartilhavam ao mostrar aquilo que os dividia e unia. As relações entre esses povos serão ilustradas com os verdadeiros destinos de pessoas reais. Vai ser pela primeira vez na história que um conjunto documentos históricos originais que tiveram um papel fundamental na história da Tchecoslováquia e no destino dos seus habitantes será exibido na República Tcheca.

A exposição intitulada “2x100” retraça os 200 anos do Museu Nacional. Os visitantes poderão admirar 200 dos objetos mais importantes e interessantes do acervo do Museu, sendo esses expostos num contexto novo e surpreendente que reflete a diversidade dos artefatos (históricos, de ciências naturais, artísticos) provenientes não apenas do país, mais do mundo inteiro.

A apresentação multimídia Historie se stala budoucností” (A História Virou Futuro) visa apresentar o Prédio Histórico enquanto um símbolo tanto nacional quanto arquitetônico. Aqui, o visitante poderá descobrir tanto o projeto inicial do arquiteto Josef Schulz, o seu caráter artístico único e elementos concretos quanto o estado crítico do prédio antes do ano 2011 e a sua nova aparência após a reforma completa por intermédio de duas projeções no espaço autêntico do térreo do Prédio Histórico.

O que está ainda no cartaz do Museu Nacional?

Na primavera de 2019, o Museu Nacional inaugurará uma exposição interativa no espaço do pátio coberto e abrirá o corredor de conexão entre os dois prédios do museu. Nesse espaço, estará à espera dos visitantes uma exibição multimídia retratando a conexão entre o desenvolvimento arquitetônico da Praça Venceslau e a História que tem essa praça como pano de fundo. Em junho de 2019, uma exposição intitulada Největší čeští skladatelé (Os Maiores Compositores Tchecos) deve substituir a exibição Tcheco-Eslovaca. Por volta de 17 de novembro 2019, ou seja, a comemoração do 30° aniversário da Revolução de Veludo, o Museu pretende atingir o plano de conseguir abrir a maioria de exposições, ou seja, a parte das ciências naturais, do século XX e o Museu das Crianças. Em meados de 2020, todos os espaços do Museu já deverão estar acessíveis ao público. Os visitantes poderão usufruir também das zonas de descanso – cafés, livraria e loja de souvenires. Além da área de exposição de 12.000 m², o complexo do museu abrangerá outros 4.000 m² de comunicações e zonas livres.